CRCPB Entrevista Kléber Marques, presidente da Comissão de Integridade

Garantir o comprometimento da alta administração com o desenvolvimento de uma cultura de integridade. Este é o principal objetivo do Plano de Integridade, instituído pela nova gestão do Conselho Regional de Contabilidade, em 03 de Julho de 2020. Para a criação do Plano, foi instituída a Comissão de Integridade, presidida pelo contador público Kléber Marques, convidado da primeira edição do CRCPB Entrevista. Confira o que ele falou sobre o papel da Comissão dentro e fora do Conselho e as principais diferenças entre ética e integridade.

Continuar lendo CRCPB Entrevista Kléber Marques, presidente da Comissão de Integridade

Aderência a boas práticas no combate à fraude e corrupção.

"Segundo a metodologia utilizada, o poder de compra é confrontado com o grau de aderência às boas práticas para identificar se a organização tem um nível aceitável ou não de aderência às boas práticas de combate à fraude e à corrupção."

Continuar lendo Aderência a boas práticas no combate à fraude e corrupção.

O que é a gestão de riscos para a integridade e por quê realizá-la?

Pesquisas mostram que, assim como a Educação, Saúde e Segurança, a Corrupção passou a ser uma grande preocupação da sociedade, que, cada vez mais, exige serviços de qualidade e condutas éticas dos agentes públicos. Por isso trabalhar metodologias de análise de riscos éticos e de integridade tem sido uma demanda bastante procurada pela sociedade e pelas organizações como um todo, sejam elas públicas ou privadas.

Continuar lendo O que é a gestão de riscos para a integridade e por quê realizá-la?

Auditoria que Apurou a Suscetibilidade das Organizações Públicas do Estado de Mato Grosso do Sul a riscos de Fraude e Corrupção terá Relatório apreciado.

A equipe integrada contou com a participação de nove auditores. Foram avaliadas 282 organizações públicas do estado, sendo 68 federais, 16 estaduais e 198 municipais. O montante de recursos fiscalizados ultrapassou R$ 27 bilhões.

Continuar lendo Auditoria que Apurou a Suscetibilidade das Organizações Públicas do Estado de Mato Grosso do Sul a riscos de Fraude e Corrupção terá Relatório apreciado.

Segundo o TCU, órgão federal que fiscaliza barragens é o 2º mais exposto a fraudes e corrupção.

A Agência Nacional de Mineração (ANM), instituição responsável por fiscalizar mineradoras e garantir a segurança de barragens, como a que rompeu em Brumadinho(MG), é o segundo órgão federal mais exposto à fraude e à corrupção no país.

Continuar lendo Segundo o TCU, órgão federal que fiscaliza barragens é o 2º mais exposto a fraudes e corrupção.