Ficamos felizes em dar essa notícia em primeira mão. Já que contribuímos com três relatórios que foram anexados a todo esse trabalho.

Será realizado na Sessão Ordinária do Pleno do dia 24/4/19 às 14:30 h, o julgamento do Relatório da Auditoria Operacional que teve por objetivo avaliar a Suscetibilidade das Organizações Públicas do Estado de Mato Grosso do Sul (MS) a riscos de Fraude e Corrupção (TC 020.829/2017-5).

Nesse mesmo dia ocorrerá o julgamento do Relatório de Auditoria do Tribunal de Contas do Estado de MS (TC 2.830/2019) e a Publicação dos respectivos  Relatórios de Auditoria no âmbito da Controladoria Geral do Estado de MS e da Controladoria Geral do Município de Campo Grande-MS.

O trabalho foi realizado a partir da assinatura de parcerias inéditas entre o TCU e os Órgão de Controles citados, bem como da Controladoria Geral da União, que também participou da auditoria.

A equipe integrada contou com a participação de nove auditores.

Foram avaliadas 282 organizações públicas do estado, sendo 68 federais, 16 estaduais e 198 municipais. O montante de recursos fiscalizados ultrapassou R$ 27 bilhões.

A implementação das medidas propostas pelo trabalho pode ser determinante para a diminuição dos casos de fraude e de corrupção em todas as esferas do poder público do Estado para um nível compatível com o de países desenvolvidos.

 

Saiba mais sobre nossos relatórios em:

Análise das demonstrações contábeis como técnica de mapeamento da suscetibilidade a fraudes e corrupção. E em  O Poder de Compra como fator de risco a fraude corrupção.

 

Fonte: Coordenador da Auditoria: Julio Marcelo da Silva Matias
Auditor Federal de Controle Externo | Secex-MS

Kleber Marques

É Contador Público Federal no Ministério da Economia – possui graduação em Ciências Contábeis e Especialização em Perícia Contábil. Possui experiência na área de CASP, Orçamento, Finanças e Administração Pública. Foi responsável pela elaboração e divulgação dos RCPG – Relatórios Contábeis de Propósito Geral do IFPB. Em recentes acórdãos nº 1661/2018 550/2018 e nº 2.377/2017 – TCU – Plenário, o Tribunal de Contas da União, mencionou seu trabalho. A pedido do TCU elaborou 2 metodologias que auxiliam no combate à fraude e corrupção, são elas: a Metodologia do Poder de Compra e a Metodologia do Poder de Barganha.

Deixe uma resposta